Windsurf pelo tempo

Publicado em 17/02/2015 00:00
Windsurf pelo tempo

 

Windsurf pelo tempo

 

A moda hoje é SUP. E anterior ao SUP, foi a explosão do Kitesurf.

O momento que um esporte deste tipo entra na moda, normalmente é muito forte em termos de visualização e desenvolvimento dos materiais. Lógico, se existe mercado e publico disposto a aprender e comprar, automaticamente vem a oferta e com ela os diferenciais entre as marcas ofertadas.

Talvez nem todos se lembrem, porém também o windsurf teve seu momento de glória. Porém foi a bastante tempo atrás. Aproximadamente entre os anos 1978 a 1983, houve o grande boom do windsurf a nível mundial e também brasileiro.

Grande parte dos atuais velejadores da velha guarda a nível de Brasil, aprenderam a velejar nas antigas Windgleider, Mistral e outras opções da época. Muitos shapes customizados baseados em fotos e imagens que chegavam em revistas especializadas do exterior. E logo inventaram as alças pros pés, trapézio, encurtaram as pranchas e chegamos até as atuais disponíveis no mercado.

 

Na foto, nosso amigo Cardoso em Laguna.

 

Mas cabe a nós não deixarmos este grande esporte morrer. Sinceramente não acho que se corra o risco, a não ser pelo preço dos materiais que nos chegam em sua grande maioria importados e portanto sujeitos às variações do dólar, que neste momento voltou a ficar desfavorável para nós, consumidores.

Muitas vezes se observa um pouco de rivalidade entre windsurf e kitesurf. Na realidade existe espaço pra todos, e não podemos esquecer que enquanto existirem novas modalidades, esportes e tendências, seguirá na esteira deste novo esporte nosso tão apreciado windsurf.

Precisamos entretanto, pensar em renovação. Vejo com bastante freqüência no Face, o trabalho realizado pelo pessoal de São Paulo na preparação de novo velejadores. Para isto as Raceboards e classe Bic Techno funcionam muito bem. Que este tipo de ação nos sirva de exemplo.

Durante minhas recentes férias fiquei muito feliz quando minha caçula de apenas 10 anos me disse que queria aprender o windsurf. Não tive duvida. Preparei o menor rig que encontrei (3.4) e propiciei a ela o primeiro contato com o esporte. O resultado? Confira no link:

https://www.youtube.com/watch?v=jEAErerBcyk

Porém agora preciso dar continuidade no trabalho, e entendo que a melhor maneira seja realmente através de aulas com material adequado e com instrutores melhor preparados que eu.

Em seguida voltarei com meu próprio trabalho.

 

A partir da próxima semana deveremos retornar ao ritmo normal de matérias.

 

Bons ventos a todos,

 

Carlos Jürgens

 

comments powered by Disqus